Sobre o Método Wolbachia | World Mosquito Program Skip to main content
Wolbachia (green) in the ovaries of Aedes aegypti mosquitoes
 

Conheça o Método Wolbachia

O Método Wolbachia consiste na liberação de Aedes aegypti com Wolbachia para que se reproduzam com os Aedes aegypti locais estabelecendo, aos poucos, uma nova população destes mosquitos, todos com Wolbachia.

Não há qualquer modificação genética no Método Wolbachia do WMP, nem no mosquito nem na Wolbachia.

A Wolbachia é uma bactéria presente em cerca de 60% dos insetos, inclusive em alguns mosquitos. No entanto, não é encontrada naturalmente no Aedes aegypti. Quando presente neste mosquito, a Wolbachia impede que os vírus da dengue, Zika, chikungunya e febre amarela urbana se desenvolvam dentro dele, contribuindo para redução destas doenças.

Wolbachia - solid
 

Com o tempo, a porcentagem de mosquitos que carregam a Wolbachia aumenta, até que permaneça estável sem a necessidade de novas liberações. Este efeito torna o método autossustentável e uma intervenção acessível a longo prazo.

O Método Wolbachia é ambientalmente amigável. Nossos experimentos em laboratório identificaram que a Wolbachia, que é intracelular, não pode ser transmitida para humanos ou outros mamíferos. Somado a isto, já temos a Wolbachia presente naturalmente em outras espécies de artrópodes. Ou seja, ao estabelecermos uma população de Aedes aegypti com Wolbachia, não haverá alteração significativa nos sistemas ecológicos. 

Três avaliações de risco independentes foram realizadas e apresentaram uma classificação de risco global “insignificante” (a mais baixa possível) para a liberação de mosquitos com Wolbachia.

Para mais informações sobre o Método Wolbachia, clique aqui.

E para acessar publicações científicas sobre o método, clique aqui (página em inglês).

Sobre o Método Wolbachia

O objetivo do World Mosquito Program é promover a substituição de Aedes aegypti por mosquitos Aedes aegypti com Wolbachia, que têm capacidade reduzida de transmitir arboviroses como dengue, Zika, chikungunya e febre amarela.

As ações do projeto no Brasil seguem protocolo aprovado pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP) e se dividem em diferentes etapas.

WMP Brasil
 

Formas de liberação

O WMP Brasil utiliza dois métodos de liberação de mosquitos Aedes aegypti com Wolbachia: a soltura de mosquitos adultos e a utilização do Dispositivo de Liberação de Ovos (DLO).

A soltura de Aedes aegypti adultos pode ser feita de carro ou a pé. Em ambos os casos são utilizados tubos que contêm mosquitos com Wolbachia e, à medida em que o colaborador avança no terreno, abre os recipientes e promove a liberação dos Aedes.

O DLO consiste em um recipiente com pequenos furos nas laterais. Ele contêm ovos de Aedes aegypti com Wolbachia, água e alimento para as larvas que vão nascer. Dentro do dispositivo, os ovos levam até um dia para eclodir e dar origem às larvas. Estas, levam entre sete e dez dias para se tornarem mosquitos adultos que voam para fora do dispositivo usando os furos das laterais.

É importante enfatizar que o Método Wolbachia é complementar às demais ações de controle. A população e poder público devem continuar a realizar as ações de combate à dengue, Zika e chikungunya que já fazem.

Para conhecer mais sobre o Método Wolbachia no Brasil, siga @wmpbrasil nas redes sociais.